sexta-feira, 11 de março de 2011

O pássaro azul nos liga a todos, nas alegrias e tristezas, em Brasília, Rio ou Sendai...

por Cris Lopes

O Pássaro azul tem uma força interessante. Informamos-nos, conhecemos pessoas, tuitamos com vizinhos que nem sabíamos que existiam, tudo assim, rapidinho, em tempo real. Jogou algo ali, despachou ao mundo. Pode ser a coisa mais séria que alguém jogou na rede, como a mais banal possível. Ótima ferramenta de comunicação! Por ele, observo as pessoas, comportamentos diferenciados dependendo das cidades onde moram, idéias políticas... - tudo muito interessante. Acompanhando a animada turma dos blogs Café&Conversa e Café&Veneno relembro como a vida em Brasília é diferente da vida carioca.

Do Rio, uma abraço do tamanho do mundo, em tempos de alegrias ou tristezas
                                                 
O carioca diz: “Aparece lá em casa!”, sem jamais lhe comunicar o endereço ou telefone, exceto se houver muita intimidade e amizade. Mas, aí, será que você precisará receber o endereço? Creiam, há quem responda: “Diga o dia, a hora e o endereço, pois quem aparece é fantasma.” Em Brasília o “aparece lá em casa” vem com telefone, endereço, e-mail, é para aparecer mesmo. 

Dizem os que não conhecem as magias da capital que a cidade é fria, não se vê gente, não se fazem amigos... Qual nada! Brasília é exatamente o oposto: fazemos amigos eternos, nos encontramos sempre, visitamo-nos um ao outro e até fazemos reuniões de pauta que viram excelentes festas em casa de amigos e colegas. Alguém duvida? Acho o máximo as reuniões do pessoal do blog. Pautam, se divertem e por vezes postam. Agora nem posso reclamar, a editora colocou o pessoal na linha e temos tido ótimos textos. Espero honrar a nova linha.

A Ruth Scaff, que alegou não escrever por não ser jornalista, confirmou aquilo sabíamos: desde quando é preciso ser jornalista para escrever gostoso, ainda mais se não precisa de diploma para ser jornalista? E desde quando qualquer jornalista escreve bem? Olha, Ruth, se ler esta postagem, fique sabendo que gosto muito do que você escreve muito bem, diga-se. E olha, gente, não estou puxando o saco (que ela não tem), nem a conheço pessoalmente.

Deixo claro que não tenho nada contra o comportamento carioca. Também não tenho o hábito de convidar pessoas que não conheço e que não fazem parte do meu dia a dia. Aliás, nem gosto de convidar. Quero que meus amigos cheguem espontaneamente. No máximo um telefonema dizendo: “Estou indo praí.” Assim é que convém. Você não se sente na obrigação de servir mil coisinhas, correr aqui e ali para buscar aquilo... Inventa na hora, pede uma pizza, compra cerveja, liga o som e faz a festa. Aliás, como eu poderia ter alguma coisa contra o povo desta cidade que amo tanto e escolhi para viver? 

E Brasília, onde fica? No mesmo lugar onde sempre esteve: no meu coração. Ali vive a minha família toda, meus amigos antigos e bons; e o mais importante: toda minha história de vida construída sob o céu mais lindo que conheço. Ali estão meus mortos. Lá tenho uma casa onde moram meus filhos, amores da minha vida. E a minha enteada que amo tanto como se a tivesse parido? Declaro, mais uma vez meu amor ao Planalto Central.

Eu poderia estar falando de carnaval. Afinal ele só acabará uma semana depois da data do calendário, mas já fiz isso, falei, falei e resolvi mudar de assunto. O resto está na mídia e todos conhecem as maravilhas desta cidade tão maravilhosa que até o Cristo ganhou um upgrade com luzes de led. Querem sabe mais? Amo o meu país e a multicultura. Porém, leiam bem, não desmereço nenhum outro que conheço. Quero é conhecer mais e mais, que tenho enormes desejos a serem cumpridos.

8 comentários:

  1. Gostei do texto, Pretinha! Amo você.

    ResponderExcluir
  2. Esqueceu que sem camisinha não dá? Então siga o conselho Reginho: http://bit.ly/foKnZH #fiquesabendo

    Conheça a Campanha contra a Aids deste Carnaval: www.camisinhaeuvou.com.br
    Siga-nos no Twitter e fique por dentro: www.twitter.com/minsaude
    Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br ou www.formspring.me/minsaude
    Obrigado,
    Ministério da Saúde

    ResponderExcluir
  3. Valeu bacanrioca!
    Bahiana, candanga e carioca!!!

    ResponderExcluir
  4. Agora compreendi o amor que tens por Brasília e pelas pessoas de lá. Seu texto está gostosíssimo. Tem força de Pássaro Azul mesmo. Parabéns e fraterno abraço.

    ResponderExcluir
  5. Cris, (se me permite a intimidade),
    gosto muito de ler o que você escreve. Impressionante como a gente sente a emoção em suas palavras. Parabéns.

    ResponderExcluir
  6. Simplesmente demais... Cris, recebi o abraço do tamanho do mundo, que logo logo vamos trocar pessoalmente. Amo o Twitter porque permite que a gente conheça pessoas assim como você, e que dificilmente conheceríamos de outra forma. Parece que te conheço desde sempre. Declaro o meu amor pelo @cafeveneno, que permite a leitura de textos assim, e declaro o meu amor por você, pessoa super especial. Beijo

    ResponderExcluir
  7. Amei muito tudo isso amiga! Grata pela força e incentivo. Esse comentário aqui, acabou que rendeu uma idéia nova. Mandei pra Clarinha para que ela dê uma olhada. VAmos ver se rola. beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Não imaginava um "comentário do MS"...obrigada a todos que comentaram.

    ResponderExcluir