sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Teclar sempre, mas sem jamais esquecer o toque na pele

Por Eduardo Balduíno (Badu)

É verdade que este delicioso blog Café & Veneno nasceu em meio a twitadas, o que pode indicar que nem tudo está perdido para a comunicação in loco, tete-a-tete, na rede de renda. Favorece a um conservador como eu - embora adepto às mais finas tecnologias de comunicação -, que preza com muito prazer o toque na pele, além do teclado.
Confesso, ainda, que cometi a Balada abaixo - em junho, seco e frio do cerrado, de 2010 - antes de me tornar também um assíduo redator de 140 toques.
Mas, resisto: hai que twittar, pero, sem perder jamais a ternura do namoro presencial.

BALADA DO TWITTER
Eduardo Balduino
Larga esse twitter, boba
E vamos namorar
De mãos dadas
Na beira do mar
Ou do Lago Paranoá

Brasília fica gostosa
Com a baixa umidade do ar
Pega um casaco quentinho
E vamos passear,
Pisar na grama seca,
De mãos dadas...

Deixa de traço, parênteses, pontinhos
Bom mesmo é beijar na boca,
Na bochecha, calcanhar
Que twitter que nada,
Bom mesmo é namorar

Larga o face book, o i-pad
O note book, desliga o celular
Troca a rede mundial pela
Minha, de casal, prá gente se aconchegar

Tira o fone de ouvido
Pr’eu morder sua orelhinha
E depois sussurrar
Umas senhas safadinhas
Prá gente se conectar

Larga esse twitter prá lá, boba
Bom mesmo é namorar...

3 comentários:

  1. A-do-rei! Sabia que vinha coisa boa. Sua fama te precede @eduardobadu . Genial essa Balada do Twitter. É sempre bom lembrar que o teclado não substitui o toque de pele. "Troca a rede mundial pela minha, de casal, prá gente se aconchegar". Que você tenha inspiração para "cometer" muitas outras baladas. Só temos a ganhar. Beijo

    ResponderExcluir
  2. Baduzim, você deveria estar compondo para os grupos de axé music na Bahia. Seria um sucesso no Carnaval. Ficaria milionário : ) Gostei muito da letra!

    Abraço

    Kassatti

    ResponderExcluir