quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Sessão Misantropia -Tolerancia Zero!

 por katia maia
Tenho grande admiração pela raça humana, mas o sentimento, confesso, vem aditivado por um desprezo profundo pela forma como alguns representantes dessa indiscutível forma de vida, que se diz superior, se comporta.
Somos seres sociáveis? Sim, claro. A resposta vem de pronto.
Ma non troppo, eu acrescentaria.
Somos seres moldados para viver em grupo? Claro, reitero.
Ma non tropo, repito.
A verdade é que cada vez mais, e eu não sei por que isso tem acontecido, o ser dito humano está perdendo a noção do respeito pelo outro. Não vou aqui falar de grandes eventos mundiais, falta de consideração com o meio ambiente, pobreza, miséria, desrespeito com nações e povos. Isso, já é público e notório. Quero falar do particular, do arranjo local, da forma como o comportamento acontece no particular.
Meu Deus! Que absurdo!
Claro, que absurdo. Nada justifica tal reação.
Mas, o que me motivou escrever esse post foi a nítida impressão que as pessoas estão se preocupando cada vez menos com o ‘coletivo’.

No cinema JAMAIS atenda o celular
ou converse sobre o filme.

Ta, bom, esse homem não merecia morrer por causa de uma pipoca, CLARO, mas que dá vontade de matar aqueles engraçadinhos que passam o filme inteiro conversando com a pessoa ao lado, ah, isso dá!
No dia em que consegui assistir a Tropa de Elite 2 – depois de umas duas ou três tentativas inglórias para ver o tal  filme - tive a nítida sensação de que seria capaz de matar o casal que se sentou ao lado.
O moço, um senhor de idade, levara a moça para ver o filme. Minha indignação começou quando a mocinha começou:
- E agora, o que vai acontecer? (O moço já tinha visto o filme).
Ele respondia, descrevia a cena e acrescentava:
- Olha essa agora, presta atenção. Você pensa que ele vai morrer, mas ele escapa... E por aí ia.
Lá pelas tantas o celular da mocinha tocou e ela atendeu! Pode?

Regra no #01 – desligue ou coloque o celular no silencioso
quando estiver em sala de cinema, de teatro ou de show.


Desprezo pelo Ser Humano?

Pode e tem mais: ela começou a conversar ao telefone. A desenvolver diálogo!! Nãaaaaaaaaaaaaaao! É demais!
Não agüentei. Gentilmente, me virei para a distinta e perguntei:
- A conversa ta boa ou o filme está atrapalhando?
Ela me olhou com um ar de desentendida e resmungou algo que eu não entendi. O velho saiu em sua defesa, ao que eu respondi:
- Eu NÃO paguei para ver um filme com narração simultânea e conversa paralela ao celular!
Foi nesse momento em que o cinema começou a fazer aquela onda de ‘chhhhhhhhhh’ e ‘cala a boca’.
Bom, terminei sendo confundida com o casal mal educado e considerada uma mal humorada. Sou mesmo. Nesses casos, assumo. Tolerância zero para quem não respeita o espaço alheio. Para eles: no mercy!


Nota do editor:
Misantropia é a aversão ao ser humano e à natureza humana no geral. Também engloba uma posição de desconfiança e tendência para antipatizar com outras pessoas. Um misantropo é alguém que odeia a humanidade de uma forma generalizada. A palavra vem do grego misanthropía,[1] a junção dos termos μίσος (ódio) e άνθρωπος (homem, ser humano). O termo também é aplicável a todos aqueles que se tornam solitários por causa dos sentimentos acima mencionados (de destacar o elevado grau de desconfiança que detêm pelas outras pessoas em geral).

4 comentários:

  1. Quem me conhece, sabe. Sou "rainha da simpatia", quase uma Márcia de Windsor (a jurada nota 10 do programa Flávio Cavalcanti - quem lembra?). Mas sinto a maior vontade de ser deselegantemente deseducada com quem não respeita o direito dos outros. Às vezes até sou... Detesto pessoas invasivas do espaço alheio. Assino embaixo do seu post, com todas as letras.

    ResponderExcluir
  2. Sou frequentadora de cinema depois do almoço e em geral a plateia é de senhorinhas e senhorinhos, ou seja, tranquila. Mas sou como você, fico doida quando um celular toca ou alguém fica conversando...a diferença é que não me desgasto.

    ResponderExcluir
  3. eu sou absolutamente 'misantropa' nessas ocasiões. me desconcentro do filme, fico para morrer. Ah, e tem aquela situação em que a pessoas atrás de nossa cadeira fica batendo com o pé no encosto. aghrrrrr! Isso me mata!
    katia - tolerancia zero hehehe

    ResponderExcluir
  4. Um juiz em Vila Velha-ES quer proibir jogar frescobol na área destinada ao esporte, na Praia da Costa pq o barulho incomoda. Pode?

    ResponderExcluir